Abovinable's try at SCP

Item nº: SCP-XXX-PT

Classe do Objeto: Keter

Procedimentos Especiais de Contenção: Agentes designados ao Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil devem ficar atentos a sinais de instâncias da SCP-XXX-PT, particularmente em comunidades ribeirinhas e suas proximidades.Os Sinais de Detecção de uma instância da SCP-XXX-PT devem ser analisados nesta ordem para investigação precisa:

1. Homem estranho na comunidade com estadia de uma única noite;
2. O homem veste roupa social completamente branca (o tom de branco é variável);
3. O homem recusa-se a tirar o próprio chapéu1;
4. O homem é insistente em conquistar uma única jovem mulher solteira;
5. O homem leva a mulher em direção ao rio (opcional).

Em caso de possível presença de uma SCP-XXX-PT, o agente deve investigar por conta própria e triangular a localização da anomalia a uma área máxima de 4km. O agente deverá então contactar a Fundação para que envie uma equipe de apreensão. O agente não deve abordar uma instância da SCP-XXX-PT, a menos que o 5o Sinal de Detecção tenha sido observado. Neste caso, o agente deve fazer o possível para evitar a consumação do ritual.

Os espécimes da SCP-XXX-PT devem ser contidos em aquário de água doce, e alimentados com peixes, moluscos e crustáceos de água fluvial. Não mais do que quatro espécimes podem estar em um mesmo aquário. No caso de um Evento Metamorfose, o espécime em questão deve ser retirado do aquário e colocado sob supervisão em uma cela humanóide convencional pela duração do Evento. Entrevista com os espécimes é permitida durante Eventos Metamorfose, mas entrevistadores de sexualidade compatível com atração ao sexo masculino devem possuir autorização da Chefe de Pesquisa para realizar uma entrevista.

Descrição: Instâncias da SCP-XXX-PT são indistinguíveis de botos-de-rio não-anômalos2, até que passem por um Evento Metamorfose. Espécimes demonstram ter capacidade de comunicação com os botos não-anômalos, e também capacidade de compreender português, mas não possuem aparato para vocalizar de maneira humana fora de um Evento Metamorfose.

Eventos Metamorfose das instâncias da SCP-XXX-PT em habitat natural acontecem mais frequentemente durante os meses de junho e julho. Pesquisadores teorizam que isto se deva menos à temporada de procriação3, e mais à temporada de festas juninas que facilitam os rituais de acasalamento característicos da SCP-XXX-PT. Espécimes já demonstraram a capacidade de iniciar Evento Metamorfose em outras épocas do ano4, e apresentam angústia ao serem impedidos de iniciar pelo menos um Evento Metamorfose a cada 10 a 11 meses.

O Evento Metamorfose apresentado pelas SCP-XXX-PT é caracterizado por:

* Transformação biológica em forma única, humana e masculina;
* Transformação adicional de pseudo-vestimentas5;
* Ser um evento deliberado;
* Acontecer ao anoitecer;
* Duração de uma única noite;
* Persistência da estrutura original do espiráculo;
* Impossibilidade de reprodução com botos6;
* Possibilidade de reprodução com humanos.

Instâncias da SCP-XXX-PT sob Evento Metamorfose são semelhantemente caracterizadas como "homem elegante, de terno e chapéu branco. Galante, charmoso e sedutor"7. Descrições de vítimas de instâncias da SCP-XXX-PT são compatíveis com os Eventos Metamorfoses observados em contenção.

Durante um Evento Metamorfose em habitat natural uma instância da SCP-XXX-PT irá procurar uma jovem fêmea humana e solteira8 e engajar em ritual de acasalamento com ela. O ritual de acasalamento demonstrado é semelhante ao humano em todos os aspectos, exceto em sua conclusão. A consumação do ritual de acasalamento dá-se em dois Tipos possíveis: sexo consensual (I)9, ou afogamento da vítima no habitat fluvial do espécime (II).

As vítimas do Tipo (II) de Consumação são encontradas dias depois, falecidas à beira dos rios, ou permanecem desaparecidas. Acredita-se que isto aconteça devido a algum defeito durante o Evento Metamorfose que impeça o espécime de reproduzir com humanos, levando-o a tentar uma reprodução interespécie em sua forma original, matando a vítima. As autópsias das vítimas são consistentes com esta teoria.

Não há registro de mortes diretamente ligadas ao Tipo (I) de Consumação, mas há casos de mortes ligadas ao parto10. A prole das vítimas de uma instância da SCP-XXX-PT são genetica e fenotipicamente humanas. Teoriza-se que a reprodução eficaz da anomalia SCP-XXX-PT seja em acasalamentos com botos não-anômalos, ou durante o Tipo (II) de Consumação.

Atualmente há ██ espécimes da SCP-XXX-PT contidas pela Fundação.